Pesquisa do IBGE detalha crescimento no país 

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) anunciou nesta quinta (21) detalhes da PIA (Pesquisa Industrial Anual) 2019 que mostra como a indústria tem passado por dificuldades nos últimos anos.  

Publicidade

Em seis anos, o país perdeu 28,6 mil empresas. Os dados não consideram os impactos causados pela pandemia, que afetou a capacidade produtiva a partir de 2020. A queda de 8,5% está na comparação entre 2019 e 2013.  

Em 2013, o número de indústrias era de 334,9 mil, maior nível da série histórica, que considera dados desde o início da aferição, em 2007. A partir dos primeiros sinais de desaceleração em 2014, essa quantidade passou a diminuir. Houve seis quedas consecutivas até o número atual de 306,3 mil em 2019.  

Publicidade

Gerente do IBGE expõe motivos 

Segundo a gerente de análise e disseminação de pesquisas estruturais do IBGE, Synthia Santana, ouvida pela Folha, há duas razões para a atual conjuntura.  

A recessão na esteira do impeachment da ex-presidente Dilma Rouseff está entre as causas.  

A partir da circunstância econômica de 2015 e 2016, segundo a especialista, questões estratégicas de redução de custos foram adotadas pelos empresários. A atividade industrial optou por fechamentos, ou reorganizações logísticas em regiões estratégicas afim de baratear operações.  

Postos de trabalho diminuem 

Segundo o IBGE, a industria empregava 7,6 milhões de pessoas em 2019. Desde 2013, a diminuição do contingente foi de 15,6%. O percentual representa 1,4 milhões de postos de trabalho.  

Outros setores

Entre os setores que mais fecharam postos de trabalho, o ramo de confecções de artigos do vestuário e acessórios teve mais expressão. Entre 2013 e 2019, a queda nos postos de trabalho foi de 17,2 mil operações. Havia 54,6 mil empresas, no último ano analisado eram 37,4 mil.  

Logo atrás desse setor, a baixa no ramo de produtos de metal (exceto máquinas e equipamentos) registrou 5,6 mil empresas a menos. De 40,4 mil empresas para 34,8 mil.

Receita do setor

Ainda segundo o IBGE, em 2019, as 306,3 mil empresas da industria geraram R$ 3,6 trilhões de receita líquida de vendas. Foram pagos aos trabalhadores R$ 313,1 bilhões em salários e outras remunerações. O total de trabalhadores era de 7,6 milhões.  

1 milhão de empregos a menos

Em 2011, a população empregada no setor era de 8,7 milhões. Segundo os dados mais recentes, já sob impactos da pandemia, o número era de 7,7 milhões de pessoas ocupadas em 2020. Além disso, a renda média paga aos trabalhadores caiu 0,5% p.p, ficando em 3 salários mínimos, segundo IBGE.  

Metade dessa redução de empregos, entre 2011 e 2020, esteve em três categorias: confecção de artigos do vestuário e acessórios (-258,4 mil), preparação e fabricação de artigos de couro, artigos de viagem e calçados (-138,1 mil) e fabricação de produtos de metal (excetuando máquinas e equipamentos, a redução registrada foi de –134,2 mil).

 

BCE aumenta taxa de juros pela primeira vez desde 2011

 

Vendas de gasolina crescem 10,8% no Brasil, segundo ANP 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário