O Brasil ocupa a 7ª posição no ranking de países com mais empreendedores

Em 2021, a quantidade de empreendedores brasileiros com empresas que possuem mais de 3 anos e meio cresceu. São mais de 14 milhões de empreendedores com 18 a 24 anos (representando 9,9% da população adulta) que estão à frente de diversos negócios no país.

Publicidade

Dessa forma, em relação ao ano anterior, pode-se dizer que o percentual teve uma alta de 1,2 pontos, fazendo com que o Brasil saísse da 13ª ocupação no ranking de empreendedorismo mundial diretamente para o 7º lugar.

Esses dados são coletados pela GEM (Global Entrepreneurship Monitor) de 2021, que foi lançada nesta última quinta-feira, e considera toda a taxa de empreendedorismo de 50 países. Entretanto, essa pesquisa global sobre o tema empreendedorismo é realizada pelo Sebrae em conjunto com o IBQP (Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade) no Brasil.

Publicidade

Segundo Carlos Melles, presidente do Sebrae, o fato dos empreendimentos com mais de 3,5 anos de operação terem conseguido se manter estabelecidos significa que os empreendedores conseguiram ultrapassar as grandes dificuldades que a pandemia de Covid-19 trouxe.

Programas de crédito e o auxílio aos empreendedores

Por outro lado, vale lembrar que os diversos programas de acesso ao crédito para as micro e pequenas empresas, como por exemplo o Pronampe (Programa Nacional de Apoio as Microempresas e Empresas de Pequeno Porte) auxiliaram os empreendedores nesse momento.

De acordo com Melles, o crédito pode ser considerado o ponto 1 e a maior necessidade dos microempreendedores nesse momento, por isso, o foco é irrigar a economia. Além disso, ele também afirma que o crédito pode ser uma ferramenta indispensável no incentivo do empreendedorismo no Brasil, auxiliando também na criação de empregos no país.

O Pronampe foi desenvolvido com o principal objetivo de tornar mais fácil o acesso ao crédito das micro e pequenas empresas no Brasil durante o período pandêmico. Dessa forma, o programa forneceu cerca de R$37,5 bilhões em financiamentos no ano de 2020. Já em 2021, o governo decidiu transformar o programa em uma política pública permanente.

Sobre o número de empreendedores no Brasil

Todavia, enquanto o número de empreendedores estabelecidos vem crescendo, o de novos empreendedores (com menos de 3,5 anos) caiu, resultando em uma diminuição da taxa percentual de 12,4% para 11%. Por outro lado, a pesquisa também mostra outros sinais positivos, afirmando que o empreendedorismo por necessidade está diminuindo.

No ano de 2020 essa taxa chegava a 50,4%, e agora representa o valor de 48,9%. Ao mesmo tempo, vale ressaltar que o empreendedorismo por oportunidade cresceu, marcando 66% em 2020 e 76% no ano passado. Um outro sinal que explica a mudança no perfil do empreendedor brasileiro é a motivação para iniciar um novo negócio. Conforme a pesquisa, 76% dos empreendedores afirmam que possuem a motivação de fazer a diferença no mundo.

Entretanto, os que afirmam empreender por conta da quantidade de empregos ser escassa, caiu de 82% em 2020 para 77% em 2021. Para realizar a pesquisa, vale lembrar que que GEM contou com 2.000 pessoas que possuem entre 18 e 64 anos. Além disso, também conversou com 46 especialistas nos meses de julho a outubro de 2021.

Veja também: Pesquisa mostra que 10 milhões de empreendimentos do Brasil são liderados por mulheres

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário