Especialistas afirmam que o rápido avanço da pandemia causada pelo Coronavírus nos aproxima de uma recessão global. Entenda!

Especialistas afirmam que o rápido avanço da pandemia causada pelo Coronavírus nos aproxima de uma recessão global. Entenda!
Especialistas afirmam que o rápido avanço da pandemia causada pelo Coronavírus nos aproxima de uma recessão global. Entenda!

A ágil propagação do Covid-19 mais conhecido como Coronavírus e declarado como pandemia pela OMS (Organização Mundial da Saúde) tem provocado desvalorização de moeda referente ao dólar, ameaça constante a uma recessão global, ou seja, pânico no mercado financeiro. Ainda que a doença tenha surgido na região asiática, o atual cenário do surto resulta em aproximadamente 114 países infectando aproximadamente 195  cidadãos num todo, além de ter causado mais de 7 mil casos fatais.

Como resultado a Itália, o segundo país mais afetado, tomou a decisão de iniciar uma quarentena em todo o país, pois além da rápida propagação do vírus na Europa e Estados Unidos, a dissenção de preços no petróleo e a alta instabilidade na Bolsa de Valores são importantes pontos que despertam em estudiosos e especialistas a clara opinião de que uma recessão economia global vem por ai.

Contudo, uma voz de alerta passou a se alastrar entre muitos investidores e economistas, principalmente depois de que casos contagiados passaram a subir rapidamente. Entenda maiores detalhes a seguir!

Especialistas afirmam que o rápido avanço da pandemia causada pelo Coronavírus nos aproxima de uma recessão global. Entenda!
Especialistas afirmam que o rápido avanço da pandemia causada pelo Coronavírus nos aproxima de uma recessão global. Entenda!

A bolsa cai e a crise no setor turístico aumenta

A Wall Street, rua considerada o coração histórico do distrito financeiro de Nova Iorque, onde também está localizada a bolsa de valores entrou em “bear Market” que significa mercado em tendência baixa.

Entretanto a baixa no mercado de ações aconteceu após a declaração oficial da OMS que o Coronavírus se tornou uma pandemia, que significa epidemia de doenças infecciosas que se espalham em grandes regiões geográficas e até mesmo planeta.

Consequentemente no Brasil, a Bovespa paralisou negociações duas vezes consecutivamente no mesmo dia, atividade considerada anormal.

Posteriormente a cada dia, critérios de isolamento são postos em prática em países e com isso o receio de contagio afeta consideravelmente o mercado de turismo. Com isso companhias aéreas relatam perdas financeiras sem aviso prévio que inclusive as fizeram realizar voos com praticamente nenhum passageiro.

Dentre as medidas mais radicais foi a dos Estados Unidos, que anunciou recentemente a proibição de viagens com origem Europeia a entrarem no país pelo período de 30 dias. Exceto Reino Unido.

Home office e baixos resultados

Outro ponto bastante relevante em meio ao caos, é que funcionários que possuem capacidade e autonomia para trabalharem em casa estão atendendo ao pedido das empresas em que trabalham. Afinal o home office é uma simples e eficaz maneira de proliferação da doença.

Contudo o não funcionamento de fábricas chinesas além de outras regiões ocasionou dificuldades na cadeia de produção global. Sendo assim, empresas se preparam para apresentar resultados vermelhos caso a economia venha a estagnar cada vez mais.

Claramente com baixo investimento e consumo de cidadãos, resultados negativos causados pela epidemia poderão ocasionar um considerável crescimento no desemprego, paralisia economia e salarial.

Crescimento global sofre ameaça de paralisia

Segundo economistas e superintendentes o crescimento global sofre ameaça de paralisia no crescimento global, pois há pouco tempo o cenário parecia ser  um surto limitado á China entre outras regiões mais próximas que passariam por menores efeitos.

Entretanto, custos globais podem chegar a U$ 2,7 trilhões caso todos os países sofram consequências por conta da pandemia. Se a economia nos Estados Unidos retrair, as eleições para a presidência também poderão ser afetadas.

As sequelas da epidemia e a inconstância no mercado das ações globais  são apontadores de dessossego aos investidores. Afinal a demanda global está levando um choque de considerável impacto a ponto de estarmos bem próximos a uma recessão global.

O quadro é preocupante para América Latina

O economista chefe da América Latina Marcos Casarini, acredita que o recuamento econômico geral diminuirá no primeiro  trimestre além de ter “vida curta”. Porém passamos por uma real proximidade a recessão global, ainda que a dúvida seja: o que será como será e o acontecerá no segundo semestre?

A pandemia aciona seu alerta na América Latina  

A Argentina foi o país em que registrou a primeira morte dentre os demais na América Latina. Portanto com o número de infectados aumentado, também suspendeu voos Europeus, Chineses, Iranianos entre outros.

Posteriormente dentre todos os países latinos americanos o Brasil é o que mais apresenta casos confirmados com aproximadamente 300 casos confirmados até o momento.

Com isso, regiões já em recessão, passarão por uma fase mais profunda.

Como serão os seguintes cenários econômicos

Embora as prospecções se alterem constantemente, há um consenso entre analistas financeiros onde é projetada uma possível melhora no segundo semestre deste ano.

Contudo, muitos observam que os resultados econômicos atuais ainda não chegaram ao fundo do poço, pois o vírus continua a se espelhar.

Entretanto é preciso ser positivo não apenas para a cura do vírus, mas também para que o mercado financeiro global se recupere o quanto antes dessa onda que vem causando tanta instabilidade a tantos países.

Organizações pelo mundo rompem projeções

Em suma, a organizações internacionais realizaram prospecções em diferenciados cenários com base na propagação do vírus. O pior dos cenários apresenta queda no crescimento econômico mundial com relação ao que já havia sido projetada, essa queda representa 1,5% segundo a OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

A UNCTAD (Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento), informou que o custo causado pela pandemia na receita  global será em cerca de US$ 2 trilhões. E que posteriormente a duração e a profundeza da crise dependerá de três importantes pontos: até quando o vírus continuará a se disseminar, qual o tempo necessário para que uma vacina seja finalmente encontrada e qual será a capacidade dos governos no alívio dos danos

Conclusão

A pandemia causada pelo Coronavírus vem instabilizando o desempenho de inúmeros países em diferentes setores, não apenas o Brasil. Com isso é preciso precaver-se em todos os sentidos, em outras palavras, é necessário cuidar da saúde e das finanças também.

Afinal o que virá a acontecer nos próximos dias é um tanto quanto incerto, pois conforme citado em trechos acima, infelizmente não é possível prospectar o fim da pandemia.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*