Banco Central reduz previsão de inflação

Banco Central reduz previsão de inflaçãoO relatório Focus, composto por avaliações de analistas do mercado financeiro, foi anunciado nesta segunda-feira (1º). A estimativa de inflação para este ano foi reduzida, anteriormente o valor era de 7,3%, passando para 7,15%.  

Publicidade

Os números são do Boletim Focus promovido pelo Banco Central. O documento reúne avaliações de mais de 100 instituições financeiras. A projeção é a quinta consecutiva com saldo positivo.  

Projeção do PIB nacional

Em movimento de subida, a projeção sobre a produção da riqueza do país foi avaliada com nova alta. A taxa anterior era de 1,93%, e agora está em 1,97%.  

Publicidade

Já para o ano que vem, o mercado financeiro avaliou alta de 3% p.p para a inflação. O ano de 2023 passou, portanto, de uma estimativa de 5,30% para 5,33%. O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) mantém a 17ª semana consecutiva de alta, enquanto a projeção para o PIB em 2023 teve uma queda relativa. Passando de 0,40% para 0,49%.  

Meta desrespeitada  

O Conselho Monetário Nacional (CMN) havia determinado o teto da inflação em 5% e 4,75% para 2022 e 2023, respectivamente. Entretanto, o BC (Banco Central) já anunciou que este ano a meta será descumprida pela segunda vez seguida.  

Os especialistas do mercado mantiveram as estimativas sobre a taxa básica de juros, que deve ser aumentava em 0,5% nesta semana em reunião do Copom. Há avaliações que dizem que esta pode ser a última alta consecutiva. A Selic está em 13,25% a.a atualmente, pode ser que chegue a 13,75%.  

Principal mecanismo de controle inflacionário, a taxa Selic para o ano que vem está projetada em 11% ao ano.  

Inflação no mundo

A problema inflacionário tem sido recorrente em diversos países mundo afora, existem muitas razões para isso.  

No começo do ano, o mundo assistiu à invasão russa na Ucrânia, o que afetou o preço de diversos produtos, entre deles, fertilizantes, grãos, gás e petróleo. O lockdown em diversas partes da China também pressionou os preços, além da demanda excessiva em razão das injeções de recursos econômicos que visavam  

Um exemplo desse cenário é nosso vizinho ao norte, os EUA projetaram para cima sua taxa de inflação em 1,0% em maio. Na estimativa anual a taxa de 8,3% foi para 8,6%. 

Houve pouca diferença em relação à projeção mais severa, que estimava em 8,6%.  

No bloco europeu, a inflação anual já ultrapassa os 8%. Membro do conselho do Banco Central Europeu (BCE), François Villeroy de Galhau, disse que além de alta, a inflação está disseminada. Razão pela qual a Zona do Euro segue aumentando os juros.  

O gigante asiático é a exceção. Segundo economistas ouvidos pelo Wall Street Journal, a expectativa de crescimento para a China era de 2,2%. O índice de preços ao consumidor (CPI) teve alta de 2,1%. 

Saiba mais:https://boasideias.com.br/pec-das-bondades-traz-beneficios-alem-de-vouchers-e-aumento-do-auxilio-brasil/

 

Mulheres negras ganham menos e têm dificuldades para trabalhar no Brasil

 

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário