Pequenas e médias empresas que migraram para o modelo online crescem significadamente na pandemia

Ao compararmos o período de crise em agosto de 2021, o total de vendas das PMEs (pequenas e médias empresas) aumentaram 4,5% por ano, já que as vendas de eletrônicos cresceram 31,4%. Esses dados fazem parte do relatório de reinicialização de pequenas empresas de percepções de recuperação da Mastercard no mercado global.

Publicidade

De acordo com o relatório, as vendas das PMEs no auge da crise, ficaram atrás das grandes empresas em até 20%. No entanto, os gastos vão se recuperar em 2021. Então, o relatório é baseado na nova rede MasterCard Economics Institute que pesquisa índices e vendas das empresas pequenas, para verificar quais são as novas tendencias.

Quantidade de fechamentos

Recentemente, as pequenas empresas tiveram um impacto significativo na pandemia, a ponto de fechares por muito tempo. Embora, a grande maioria que fechou em abril de 2020 ficou por cerca de 6 meses, e a outra parte ficou mais de 12 meses fechadas. Agora, essa situação vai de acordo com a localidade, por exemplo nos Estados Unidos 26% dos varejistas permaneceram fechados ate 6 meses. Porém, no cenário do Brasil esse percentual é maior (28%).

Publicidade

Localização das empresas

Entretanto, comparando com o ano de 2019, os gastos dos varejistas de pequenas e médias empresas no distrito comercial central caíram 33%, já as vendas dos varejistas pequenos aumentaram 8%. Por isso, a medida que trabalhadores e turistas se mudam para mais perto de casa, as vendas de pequenas empresas em distritos comerciais diminuem.

Empresas online

Após o fechamento, o índice de instituições que entraram para o e-por mês foi três vezes maior que o nível pré-pandemia, e atingiu o pico em julho de 2020. Com isso, a procura por vendas online e plataformas aumentaram, com o início do lockdown esse método tornou uma realidade ainda maior. Portanto, desde então a transição para a digitalização tem sido mantida em alto nível globalmente. Por exemplo, no Brasil, o número de empresas que passaram por essa migração em 2020 aumentou 208% em relação ao número registrado em 2019.

Saiba o que mudará para o consumidor com a nova lei do Superendividamento

Aumento do empreendedorismo

Há uma grande quantidade de varejistas pequenos abertos em 2020 do que em 2019, quase 8 vezes o número de grandes empresas criadas. Afinal, a tendência de criação de um grande número de novas PMEs em 2020 se reflete no mundo, como no Reino Unido que foi +101%, Estados Unidos +86%, Alemanha +62% Brasil +35% e por assim vai.

Outros setores

Hospedagem e Restaurantes: No verão de 2020 e 2021, o desempenho das pequenas empresas de alojamento foi significativamente melhor do que o das grandes empresas de hospedagem. Mas, com os setores alimentícios como restaurante esse cenário foi diferente, as PMEs perderam o desempenho desde o começo da pandemia e esse número equivale a 17% em 2021.

Em suma, esse trabalho da Mastercard foi fundado com o intuito de analisar as macroeconomias por meio dos consumidores. Então, esses dados foram coletados através de especialistas como cientistas, economistas e analistas. Então, para mudar o cenário das PMEs é preciso apostar em novos empreendedores para que a economia do Brasil retome ao seu normal.

Veja também: Câmara dos Deputados aprova a MP que incentiva empréstimo para MEIs e pequenas empresas

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário