Conheça o projeto Empodera, criado como uma rede de incentivo a mulheres empreendedoras

Uma pesquisa que foi feita no ano passado pelo IPEA (Instituto de Economia Aplicada) observou que a taxa de participação das mulheres no mercado de trabalho diminuiu em 2020, ano em que a pandemia atingiu o mundo todo. Contudo, no terceiro trimestre de 2020, a proporção de mulheres na força de trabalho era de 45,8%. Em 2019, a taxa de registro foi de 53%. Ou seja, fora a queda, em 2021 quando todos ficaram de quarentena, o porcentual também era menor desde 1990, em 44,2%.

Publicidade

Durante a pandemia, as mulheres empreendedoras no Brasil cresceram 40%, segundo pesquisa realizada pelas Nações Unidas e agências globais. Ou seja, elas representam também 48% de todos os empresários do Brasil, de acordo com o 2020 Global Entrepreneurship Monitor (GEM). Através desses dados que foi criado o projeto Empodera, para saber mais continue acompanhando!

Por que o projeto foi criado?

Embora a participação de mulheres na força de trabalho tenha diminuído, a realidade no mundo empresarial é diferente. No geral, o Brasil em 2020 viu um aumento na abertura de novos empreendimentos, com 2,3 milhões de novas empresas e 1,44 milhão de fechamentos, segundo o Ministério da Economia.

Publicidade

Portanto, a partir desse saldo positivo, a atuação das mulheres pode ser considerada um fator favorável: embora as mulheres ainda são poucas entre os empreendedores formais (37%), sua presença tem aumentado gradativamente, chegando a um total de 29% em seis anos. Contudo, esses dados são do feito no segundo trimestre de 2021.

Todavia, perante a essa realidade, que surgiu a iniciativa do Projeto Empodera que é um terreno fértil para estimular a colaboração entre mulheres empreendedoras, ou seja, o objetivo é fomentar o desenvolvimento de redes de apoio às mulheres nos negócios.

Projeto Empodera

A Empodera foi criada em 2019 em março, como uma iniciativa das mulheres empreendedoras Fátima Cossolin e Aline Santiago, que viram “uma necessidade do mercado de uma oportunidade de criar conexões entre mulheres que, por suas demandas do dia a dia, lutam para estabelecer relações profissionais”.

Além disso, a criadora Aline Santiago diz que a startup feminina já ajudou mais de 200 mulheres empreendedoras e nasceu do desejo de “fazer uma startup que funcione”. No entanto, além de ser um grupo focado no networking feminino, o Empodera investe no crescimento pessoal e no empoderamento de quem está comprometido com o empreendedorismo.

Em suma, a Empodera tem ajudado a estabelecer uma posição de destaque para as mulheres no mundo dos negócios, criando uma rede de apoio e troca de informações para que elas possam se posicionar com sucesso no mercado. Além disso, as fundadoras da Empodera afirmam que houve um aumento do empreendedorismo feminino no Brasil, e a pandemia alavancou as mulheres para participar do mercado empresarial. Por fim, para entrar nesse projeto do Empodera, o requisito necessário é já ter uma empresa do setor comercial aberta, para saber mais informações entre no site oficial da emPODERa.

Saiba também: Empreendedorismo feminino: mulheres já são 48% do número de MEIs no Brasil

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário