A menos de seis meses para o início, a Copa do Mundo já começou para o comércio

Com o início previsto para daqui 5 meses, mais precisamente em 21 de novembro de 2022, a Copa do Mundo no Catar já vem movimentando o mundo dos negócios. Por envolver o esporte mais popular do planeta e a paixão de milhões de pessoas, empresários de vários ramos estão otimistas com as projeções de lucro. O evento promete injetar pelo menos US$ 20 bilhões no Produto Interno Bruto do país do Oriente Médio, sede do mundial.

Publicidade

No entanto, o Brasil, apesar de estar geograficamente longe do Catar, com cerca de 12 mil quilômetros de distância, vê a Copa como possibilidade de movimentar o mercado. Além disso, as empresas de aviação e turismo que atuam aqui no país querem marcar presença no evento, com algumas estimando arrecadar US$ 30 milhões em vendas de pacotes de viagem.

Expectativas dos negócios

A informação divulgada no Fórum Econômico do Catar pelo secretário-geral do comitê organizador local, Hassan Al-Thawadi, é que 1,2 milhão de ingressos já foram vendidos para a Copa do Mundo de 2022, ou seja, são esperados mais de 1 milhão de turistas no país. Agências de viagens do Brasil, como CVC e Grupo Águia, esperam mandar ao menos 10 mil pessoas para Doha (Catar) e Dubai (Emirados Árabes).

Publicidade

O Grupo Águia tem acordo com a empresa Match International, parceira da FIFA, que garante prioridade no Brasil, no Peru e no Canadá para a venda de pacotes turísticos e ingressos de hospitalidade, os valores podem começar por US$ 950 na Match Club, categoria mais vendida no Brasil, e chegar a US$ 5 mil por jogo na Pearl Lounge com direito a camarotes.

Os protocolos de segurança contra COVID-19

Com a população avançando na vacinação contra o coronavírus, tudo indica que essa será a Copa da retomada, segundo o comitê organizador Catar – 2022, tiveram cerca de 40 milhões de solicitações de ingressos, sendo 17 milhões na primeira fase de venda e 23 na segunda. Então, no total, três milhões de ingressos serão disponíveis.

Porém, não basta adquirir somente os ingressos e pacotes de hospitalidade. Tem que chegar lá. Por isso, companhias aéreas nacionais como Gol, Latam e Azul estão definindo estratégias para suprir a demanda dos brasileiros que compraram pacotes turísticos e aqueles que pretendem viajar por conta própria, para a torcida do nosso país poder marcar presença nos estádios do Catar.

Contudo, as empresas internacionais de aviação como Qatar Aiways e Emirates projetam um aumento no número de voos partindo do Brasil com destino a Catar e Dubai no final do ano. Em dezembro, a passagem na classe econômica teve um valor de R$ 8 mil, em janeiro passou por uma redução e ficou em R$ 6,3 mil. Para o início do mundial é previsto uma alta para R$ 10,2 mil em média.

Outros negócios se movimentando 

No entanto, outros ramos dos negócios também vêm se movimentando perante a realização da Copa do Mundo, nos comércios de ruas já é possível encontrar artigos das cores verde e amarelo, como chapéus, óculos, bandeiras, perucas, apitos e entre outros.

Em suma, marcas de vestuário esportivo também garantem destaque nesses períodos. Empresas gigantes como Nike, Adidas e Puma estão atentos ao evento para o sucesso de suas novas coleções. Esse mercado mundialmente movimenta US$ 300 bilhões por ano. Além disso, são esperados ações promocionais e lançamentos de uniformes e calçados no Brasil com clima de Copa para aproveitarem o embalo do consumo.

Veja também: Média salarial para contratação com carteira assinada cai 5,6%

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário